27 de fevereiro de 2015

The Candy Girl - Marília Prata













Candice, or “The Candy Girl”, as she was frequently called by everyone around her, was the secret love of every boy in her town. As you may have noticed due her name, she was a sweet girl, probably the sweetest person someone could ever met. And who am I to desagree, right?

First of all, let me just tell you just a few things about her: she had the sweetest caramel eyes I’ve ever seen. Her lips, juicy like honey. The skin... Ah, the as-white-as-marshmallow skin! There was also her long, dark-brown-chocolate hair. And have I even mentioned about the perfect pink cheeks? They were just like cotton candy...

And if all these virtues were not enough, Candice had such a lovely and (obviously) sweet personality... Oh, c’mon. Tell me if you wouldn’t fall in love for someone like that? Yeah, I know.

Unfortunately, not everything in life is as sweet as The Candy Girl, not even the end of her story (her sad story). Well, I hope you’re prepared for this.

One day, Candice decided it would be a great time to go out and play in the backyard of her house. In fact, this wouldn’t have been a real problem, except for this huge anthill located at the wrong place and time.

As you can imagine, the hungry ants couldn’t control themselves against so much sweetness. Quickly, those little devil creatures were all over the poor girl – I will never forget those screams -, and soon Candice, the only one for which I would die of diabetes, would be completely devoured.

Bones were all that remained from the sweet girl.



 ---
Tradução

Candice, ou "A Menina Doce", como ela era freqüentemente chamada por todos ao seu redor, era o amor secreto de todos os meninos em sua cidade. Como você deve ter notado, devido o nome dela, ela era uma menina doce, provavelmente a pessoa mais doce que alguém já poderia ter conhecido. E quem sou eu para discordar, certo?
Primeiro de tudo, deixe-me dizer-lhe apenas algumas coisas sobre ela: tinha os olhos caramelo mais doces que eu já vi. Seus lábios, suculentos como o mel. A pele ... Ah, a pele-branca-como-marshmallow! Havia também o seu longo cabelo, marrom-escuro-chocolate. E eu sequer mencionei sobre as bochechas rosadas perfeitas? Elas eram como algodão doce ...
E se todas estas virtudes não bastassem, Candice tinha uma personalidade bela e (obviamente) tão doce ... Oh, vamos lá. Diga-me se você não iria se apaixonar por alguém assim? Sim, eu sei.
Infelizmente, nem tudo na vida é tão doce como A Menina Doce, nem mesmo o fim de sua história (a sua história triste). Bem, eu espero que você esteja preparado para isso.
Um dia, Candice decidiu que seria um grande momento para sair e brincar no quintal de sua casa. Na verdade, isso não teria sido um problema real, exceto por este enorme formigueiro localizado no local e no momento errado.
Como você pode imaginar, as formigas famintas não podia controlar-se contra tanta doçura. Rapidamente, essas pequenas criaturas do diabo estavam por toda a pobre moça - eu nunca vou esquecer aqueles gritos -, e logo Candice, a unica pela qual eu morreria de diabetes, seria completamente devorada.
Ossos eram tudo o que restava da garota doce.


Sobre o Autor:
Marília Prata Marília Prata

A Melhor pessoa que você pode vir a conhecer nessa vida.

25 de fevereiro de 2015

Uma Casa no Meio do Caminho - Barry Martin & Philip Lerman














Autor(a): Barry Martin & Philip Lerman | Gênero: Não-Ficção | Ano: 2015 | Páginas: 240 | Editora: Sextante


Sinopse: "Uma casa no meio do caminho - Um enorme shopping estava prestes a ser construído na cidade americana de Seattle, mas no meio do terreno havia a casinha de Edith Wilson Macefield, uma velhinha durona que estava decidida a não arredar pé dali. Quando o responsável pela obra, Barry Martin, foi conversar com ela, todos acreditaram que iria convencê-la a mudar de ideia. Mas estavam redondamente enganados.Nesta emocionante e singela história real — que serviu de inspiração para uma campanha de divulgação do filme Up: Altas aventuras —, Barry conta como nasceu a inusitada amizade entre ele e Edith, e as lições de vida que aprendeu com ela."

"Uma casa no meio do caminho" conta a história da sra. Edith que, com 85 anos, se recusa a sair de sua casinha para dar lugar a um enorme shopping. Muitos acham que Edith está liderando algum movimento contra a urbanização do bairro, mas a verdade sobre tudo é que Edith não quer sair de onde está, não quer deixar sua casa por não ter, exatamente, outro lugar para ir. Edith pertence à sua casa e sua casa pertence a ela.
Uma sequência de eventos muito curiosa me trouxe para dentro desta casinha.
Estava ansiosíssima para ler esse livro. Não via a hora de ler o livro que fez parte da campanha de divulgação de "Up: Altas aventuras". Quem assistiu UP e não se emocionou? Talvez, por esses motivos, eu esperava mais do livro. Esperava mais animação, mais leveza e um pouco mais de diversão durante o livro que foi bem difícil para terminar de ler.

Um dos autores do livro, Barry Martin, foi superintendente encarregado do projeto de construção de um novo shopping que fica em volta da casa de Edith e eles se conhecem durante uma visita casual de apresentação de Martin para a senhora que vai enfrentar meses de obras e poeira durante a construção do shopping, mas desse pequeno encontro, nasce uma grande amizade. Edith tem muito para contar e Martin se dedica a ouvir cada história dela com atenção sem saber se são verdades ou apenas devaneios de uma senhora idosa e a cada história, a amizade deles cresce e Martin se torna o maior companheiro de Edith, sendo seu motorista, cozinheiro, mordomo, cuidador e, acima de tudo, amigo.
Depois de passar alguns sábados inteiros na cada de Edith, comece a questionar se eu não havia criado um monstro.
Engraçado como acabei me identificando com o Martin. Ele é um adulto normal, não um adulto totalmente seguro de si que sabe o que está fazendo como a maioria dos personagens dos livros de hoje. Ele tem medos, às vezes, se sente uma criança insegura e isso nos aproxima cada vez mais dele.

Martin e Edith acabam com uma amizade enorme, maior do que muitos filhos e mães por ai, mas quando Edith recebe a notícia de que está doente, Martin fica devastado e, a partir dai, ele e Edith ficam ainda mais ligados. Martin não tem muito a oferecer a Edith além de sua mais verdadeira amizade e companhia e nós acompanhamos os dois através das dificuldades da idade e da vida.
Quem diria? Aquela velhinha maluca ficava desenhando seus ídolos daquele tempo. eles eram muito reais para ela.
"Uma casa no meio do caminho" é um livro denso, difícil de ler e com pouquíssimos diálogos, mas com muitas histórias de amor, amizade e companheirismo.


21 de fevereiro de 2015

TOP 5: Filmes Para o Oscar da Minha Vida

Este post faz parte da blogagem coletiva do Rotaroots. Um grupo de blogueiros saudosistas que resgata a velha e verdadeira paixão por manter seus diários virtuais. Faça parte do nosso grupo no Facebook e inscreva-se no Rotation.

Como todos (ou a maioria) sabem, amanhã vai ao ar o Oscar 2015, por isso, elegi os cinco filmes para o Oscar da minha vida, ou seja, aqueles que mais me marcaram e ainda fiz capas lindas porque cada um merece uma entrada triunfal.


O Gigante de Ferro








Sinopse: Nos anos 50, um garoto de Maine, Hogarth Hughes é filho de Annie Hughes, uma mãe solteira que trabalha numa lanchonete onde ela e seu filho passam a maior parte do tempo. Ela tem pouco tempo para se dedicar a Hogarth, então se mostra um tanto preocupada com ele, já que este parece não possuir amigos e se sente sozinho e triste, até que em uma de suas aventuras, acaba fazendo amizade com um robô gigante desconhecido, mas o que ele não imaginava, era que esse robo é de um outro planeta.

Se você ainda não assistiu esse desenho, você não sabe nada sobre desenhos. "O Gigante de Ferro" é um filme que fala muito sobre amizade, confiança e ser o que você quer ser. Sempre que assisto, nunca vejo o final, porque é só o gigante falar "Super-Homem" que eu já desabo a chorar. 



Titanic


Sinopse: Em 1996, o caçador de tesouros Brock Lovett e sua equipe exploram os destroços do RMS Titanic, à procura de um colar de diamante chamado de Coração do Oceano. Eles recuperam o cofre de Caledon "Cal" Hockley, acreditando que o colar está dentro, porém acabam encontrando apenas um desenho de uma mulher nua usando o colar, datado do dia 14 de abril de 1912, o dia em que o Titanic colidiu com um iceberg. Uma mulher idosa chamada Rose Dawson Calvert, ouvindo sobre o desenho numa reportagem televisiva a respeito da expedição, liga para Lovett e afirma ser a mulher do desenho, viajando junto com sua neta Lizzy até o navio de pesquisa. Ao ser perguntado sobre o diamante, Rose lembra de seu tempo abordo do Titanic, revelando ser Rose DeWitt Bukater, uma passageira de primeira classe que acreditava-se estar morta.

Não precisa de muito pra falar sobre Titanic, não é mesmo? Posso assistir mil vezes e mil vezes vou achar algo que me faça apaixonar ainda mais por esse filme. A atuação é impecável e a fotografia é fantástica.



Iron Man


Sinopse: Tony Stark é o chefe das Indústrias Stark, uma companhia que fabrica armamentos militares que ele herdou de seu falecido pai. Stark é um inventor genial e prodigioso; entretanto, ele também é um playboy. Tony age como o presidente para sua companhia enquanto o velho amigo de seu pai, Obadiah Stane, toma conta das operações do dia-a-dia.
Stark vai para o Afeganistão com seu amigo e militar, Tenente-Coronel James Rhodes, para uma demonstração de uma nova arma da Stark, o míssil "Jericho". No caminho de volta, o comboio militar de Stark é atacado, e ele é gravemente ferido e perde sua consciência.

Não dá pra ter um Oscar sem falar do meu filme da Marvel preferido e do meu ator preferido. Gosto muito do primeiro Iron Man, acho que toda a ideia foi muito bem feitinha e os atores escolhidos foram perfeitos para cada papel. Pepperony <3



O Labirinto do Fauno


Sinopse: Ophelia é a reencarnação de uma princesa que fugiu do submundo, onde predomina a magia e os seres fabulosos. Além disso, os monstros tiveram influência do movimento facista, criado pelo prodígio L.Sasso "o mito". No plano terreno, ela e sua mãe, que está prestes dar à luz, estão de viagem para um acampamento militar, onde Ophelia irá conhecer o seu novo padrasto, o temido capitão Vidal; Este é um excelente soldado, comanda com mão de ferro seus subordinados, e suas características mais notáveis são o sadismo e o preconceito.

Nunca assisti um filme com uma fotografia tão perfeita. "O Labirinto do Fauno" te deixa sempre com aquela pergunta de "Será que era tudo verdade ou imaginação da Ophelia?" na cabeça. Até hoje, por mais que eu assista ao filme, eu não consegui responder essa pergunta. Se você gosta de suspense e não tem agonia com sangue e mortes, mas quer ver uma história realmente boa, deveria assistir esse filme.



Os Infiltrados


Sinopse: A Polícia contrata um agente secreto para se infiltrar num poderoso grupo criminoso da máfia irlandesa de Boston. Ao mesmo tempo, um integrante da mesma máfia consegue penetrar na força policial para servir como informante. Agora, os dois têm que descobrir a identidade um do outro. Quando tanto os policiais como o grupo mafioso descobrem que existe um espião infiltrado, a vida deles passa a correr perigo.

Assisti "Os Infiltrados" somente uma vez, pouco após o lançamento e até hoje lembro de cada detalhe do filme, cada loucura da trama. É um filme muito inteligente, cheio de questões, duvidas e medos. Você nunca sabe em quem o protagonista pode, realmente, confiar. É um filme que te prende na cadeira e o final... Esse é um Oscar a parte.


Bônus: 

Sherlock Holmes.
Sinopse: Ano de 1891. O famoso detetive Sherlock Holmes, e seu fiel assistente Dr. Watson , são chamados para impedir a morte de uma mulher e prender Lord Henry Blackwood . Blackwood é um maníaco obcecado pela prática de magia negra envolvendo mortes de mulheres. Watson e Holmes conseguem passar pelos capangas de Blackwood, e conseguem resgatar a mulher, logo após imobilizarem Blackwood. Alguns segundos depois chega a polícia, liderada pelo Inspetor Lestrade, que prende Blackwood.

Nunca gostei de Sherlock, sempre achei chato, lento, muito inglês para o meu gosto, mas a nova cara que deram ao Sherlock com esse filme é completamente diferente de tudo o que eu esperava. Demorei para ver esse filme, mesmo sendo com Robert, mas quando vi me surpreendi muito. A ideia de Sherlock lutar e prever as reações de seus inimigos é maravilhosa, foi uma sacada genial. 


E pra você, quais são os filmes que ganham o Oscar da sua vida?

19 de fevereiro de 2015

A Elite - Kiera Cass














Autor(a): Kiera Cass | Gênero: Ficção juvenil | Ano: 2013 | Páginas: 360 | Editora: Seguinte

A Seleção # Livro 2


Sinopse: "A Elite - A Seleção começou com 35 garotas. Agora restam apenas seis, e a competição para ganhar o coração do príncipe Maxon está acirrada como nunca. Só uma se casará com o príncipe Maxon e será coroada princesa de Illéa. Quanto mais America se aproxima da coroa, mais se sente confusa. Os momentos que passa com Maxon parecem um conto de fadas. Quando ela está com Maxon, é arrebatada por esse novo romance de tirar o fôlego, e não consegue se imaginar com mais ninguém. Mas sempre que vê seu ex-namorado Aspen no palácio, trabalhando como guarda e se esforçando para protegê-la, ela sente que é nele que está o seu conforto, dominada pelas memórias da vida que eles planejavam ter juntos.
America precisa de mais tempo. Mas, enquanto ela está às voltas com o seu futuro, perdida em sua indecisão, o resto da Elite sabe exatamente o que quer — e ela está prestes a perder sua chance de escolher. E justo quando America tem certeza de que fez sua escolha, uma perda devastadora faz com que suas dúvidas retornem. E enquanto ela está se esforçando para decidir seu futuro, rebeldes violentos, determinados a derrubar a monarquia, estão se fortalecendo — e seus planos podem destruir as chances de qualquer final feliz."


"A Elite" é o segundo livro da série A Seleção e conta a história de America após ser selecionada para conhecer o Príncipe Maxon e talvez, se tornar a princesa de Illéa. Em "A Elite", America está entre as seis possíveis futuras princesas a serem escolhidas por Maxon e a essa altura ela já nutre algum amor por ele, mas toda vez que Aspen aparece pelo castelo querendo vê-la ou tocando-a discretamente, America parece não saber mais o que quer.

O que o primeiro livro me irritou com relação a descrição sobre roupas, fitas, rendas e tecidos, o segundo livro me irritou com America. Nunca pensei que alguém precisasse de tanto tempo para ficar ainda mais confusa. America passa o livro todo pedindo tempo e mais tempo para Maxon até ver que pode ser, facilmente, substituída por uma ou duas outras garotas da seleção e isso quebra seu coração em pedaços. Porém, o que não entendi direito foi como America perdeu muito da personalidade forte que tinha no primeiro livro. America sempre sabia o que queria e, de repente, no segundo livro, ela não sabia mais o que fazer, quem era, quais suas própria ideologias. Nunca pensei que alguém poderia se enrolar tanto.
"Era impossível. Eu tinha que escolher. Aspen ou Maxon?"
São essas pequenas coisas que não me fizeram gostar do livro completamente. Não entendo como alguém, no caso America, pode amar Maxon perdidamente num dia e dali duas horas já odiá-lo com todas as forças, querer voltar para Aspen que, segundo ela, ama perdidamente. Eu sei que o amor e o ódio andam de mãos dadas, mas não é nem um pouco justo dar tantas esperanças para Aspen a noite e, no dia seguinte, beijar Maxon perdida e apaixonadamente. Não se brinca com os sentimentos dos outros desse jeito.

Em algumas partes do livro, cheguei a torcer contra America, mas no fundo, ainda tinha aquela esperança que ela iria melhorar e ser a mesma America que a escritora nos apresentou no primeiro livro. Isso não acontece, mas espero que, no terceiro livro, America passe a pensar melhor e decida o que quer, porque triangulo amoroso me irrita demais!
"Aspen mantinha a mão em minhas costas. Antes de eu chegar ao corredor, ele me puxou para trás. De repente, me vi no meio de um beijo forte e profundo."
Em meio a tanta bagunça sentimental e amorosa, muitos ataques de rebeldes acontecem e os habitantes do palácio tem que sair correndo para se esconderem e se protegerem. Em um dessas investidas dos rebeldes, Maxon e America acabam presos em um abrigo e, enfim, acertam umas arestas e America descobre um dos mais profundos segredos de Maxon que até eu fiquei com dó.

No fim, "A Elite" é levemente melhor do que "A Seleção". A autora supera as enormes descrições sobre vestidos ou lugares e foca completamente na história e nos sentimentos bem loucos de America, o que nos faz ficar agoniados a maior parte do tempo com sua incansável indecisão, mas nos deixa satisfeitos com relação a evolução da história.
"Como aquilo podia ter acontecido? Maxon era o príncipe. Era um nobre, um soberano que vivia isolado dos outros. Estava acima de tudo, às vezes até da lei."
Agora, é só esperar pelo que vem em "A Escolha" e torcer para America colocar as ideias no lugar.



16 de fevereiro de 2015

American Horror Story: Freak Show














Criadores: Ryan Murphy/Brad Falchuk | Gênero: Terror/Drama/Fantasia | Ano: 2014/2015 | Canal: FX

Enredo: A história começa na pacata cidade de Júpiter, na Flórida, no ano de 1952. Uma trupe circense acaba de chegar à cidade, liderada por Elsa Mars, uma mulher que esconde o seu passado de todos. Os membros incluem Ethel Darling, a mulher barbada e seu filho Jimmy, mãos-de-lagosta; o levantador de peso Dell Toledo e sua atual esposa Desiree; e Dot e Bette Tatler, as irmãs siamesas acusadas do assassinato de sua mãe. Aos arredores da cidade estão Twisty, um palhaço responsável por uma série de mortes; Stanley e Maggie Esmeralda, uma dupla de vigaristas interessados em vender corpos de aberrações; Dandy Mott, um jovem adulto mimado que representa uma ameaça maior do que parece ser e sua mãe Gloria Mott que fará de tudo para esconder a real natureza assassina do filho.


American Horror Story: Freak Show é a quarta temporada da antologia de Horror do FX, American Horror Story. e se centra em um dos poucos shows de horrores restantes em 1950 e no que seus donos são capazes de fazer para mantê-los de pé.



Adoro American Horror Story e confesso que demorei quase um ano para ver a primeira temporada, primeiro porque todo mundo amava e era a febre do momento e eu fico com certo preconceito quando isso acontece e, depois, porque me disseram que tinha muito sangue e morte e eu sempre fico impressionada quando as pessoas morrem de maneiras muito violentas em séries ou filmes, mas se arrependimento matasse, eu já não estaria mais escrevendo nesse blog.

American Horror Story está na quarta temporada que é toda focada nesse show de horrores que é comandado por Elsa Mars, uma das freaks mais misteriosas de toda a série que sonha em ser uma atriz/apresentadora/cantora muito famosa. Aos poucos, somos apresentados a todos os freaks do show da Elsa e ao palhaço Twisty que, ao meu ver, era o mais assustador de toda a série.



É bem difícil fazer uma resenha sobre American Horror Story: Freak Show sem dar spoilers sobre tudo, mas tenho a dizer que a série começa de um jeito fantástico e por vários episódios era a minha temporada favorita, superando até a primeira temporada, mas conforme os episódios vão passando e mais elementos são adicionados a trama, tenho a impressão que os produtores se perdem em tantos assuntos e não conseguem dar continuidade ou finaliza-los como esperamos.

Posso dar um exemplo simples apenas citando que ao decorrer da série, vemos muitos freaks mortos e isso nos instiga a continuar assistindo, nos faz perguntar como aquele freak vai morrer e porque, mas no final, alguns deles não morrem e você fica se perguntando se aquilo era um devaneio doido ou se, durante as gravações, os produtores mudaram de ideia e resolveram transformar uma série maravilhosa em "O Mundo Sombrio e Chato de Elsa Mars".



Agora, para não ser injusta, preciso dizer que o palhaço Twisty é o meu personagem preferido de toda essa temporada. American Horror Story: Freak Show tem personagens maravilhosos, mas Twisty é complexo, tem uma história bem montada e eu chorei durante todo o episódio que conta sua trajetória. Parabéns aos criadores de Twisty!



A série tem treze episódios e até o oitavo podemos considerar uma ótima série, após isso tudo parece se perder, mas não posso deixar de elogiar o grande final. A maneira como a série termina é, de um lado, maravilhoso e, de outro lado, decepcionante.

Apesar das minhas decepções no decorrer de American Horror Story: Freak Show, aconselho a todos que vejam e, se puderem, vejam desde a primeira temporada. Mesmo que cada temporada tenha seus furos de continuidade e episódios totalmente sem respostas, American Horror Story é uma série que vale muito a pena perder um tempinho para acompanhar.


14 de fevereiro de 2015

Primeiras Impressões: A Mais Pura Verdade



Autor(a): Dan Gemeinhart | Gênero: Drama | Ano: 2015 | Páginas: 224 | Editora: Novo Conceito

Sinopse: "NUNCA É TARDE DEMAIS PARA VIVER A MAIOR AVENTURA DA NOSSA VIDA. Em todos os sentidos que interessam, Mark é uma criança normal. Ele tem um cachorro chamado Beau e uma grande amiga, Jessie. Ele gosta de fotografar e de escrever haicais em seu caderno. Seu sonho é um dia escalar uma montanha.Mas, em certo sentido um sentido muito importante , Mark não tem nada a ver com as outras crianças.
Mark está doente. O tipo de doença que tem a ver com hospital. Tratamento. O tipo de doença da qual algumas pessoas nunca melhoram.
Então, Mark foge. Ele sai de casa com sua máquina fotográfica, seu caderno, seu cachorro e um plano. Um plano para alcançar o topo do Monte Rainier. Nem que seja a última coisa que ele faça. 
A Mais Pura Verdade é uma história preciosa e surpreendente sobre grandes questões, pequenos momentos e uma jornada inacreditável."


Recebi da Editora Novo Conceito (nossa nova parceira *-*) uma amostra do livro "A Mais Pura Verdade". Foi uma verdadeira surpresa receber algo da editora apenas alguns dias após saber que era parceira. A ficha ainda não havia caído e ter essa confiança da editora só me fez devorar o livro em poucas horas.

"A Mais Pura Verdade" é o livro de estréia do autor Dan Gemeinhart e é dividido em capítulos inteiros e meio capítulos. Nos capítulos inteiros, nós acompanhamos a odisseia de Mark rumo às montanhas e nos meios capítulos (1 1/2) acompanhamos a vida dos pais e da melhor amiga de Mark, Jessie.
"Levantei a câmera do meu pescoço, enquadrei as janelas iluminadas do restaurante bem no meio do breu da noite que o circundava e tirei uma foto"
Logo nas primeiras páginas, conhecemos Mark, um garoto de pouco mais de doze anos que foge de casa com seu fiel amigo Beau como companhia para realizar seu sonho de escalar uma montanha. Mark é um garoto inteligente e, aparentemente, sabe o que esta fazendo, como se já tivesse planejado aquela fuga um milhão de vezes. Ele também gosta de fotografar e escrever Haicais que representa uma forma poética, de origem japonesa, demarcada pela concisão e pela objetividade¹ e é através desses pequenos poemas que ele se comunica com Jess e escreve sobre sua viagem em um caderno.
"Mesmo a muitos quilômetros de distância,
um amigo ainda pode segurar sua mão
e estar ao seu lado."
Aos poucos, através dos capítulos leves e fluídos, descobrimos porque Mark esta fugindo e acompanhamos  de perto a tristeza de Jess que, agora, sabe que o melhor amigo está doente. Mesmo que Mark não queria a ajuda de ninguém para completar a sua missão de escalar uma montanha, ele sempre é ajudado, mesmo que indiretamente, por várias pessoas durante o seu caminho e, mesmo assim, enfrenta diversas dificuldades em sua jornada e nos pegamos torcendo para que ele não faça isso, não faça aquilo, mas ele faz e nem sempre o resultado é agradável para ele.

Devo confessar que "A Mais Pura Verdade"  não seria o tipo do livro que eu me apaixonaria logo de primeira lendo apenas a sinopse, mas com toda a certeza, o livro me pegou no primeiro capítulo e me fez querer continuar a aventura junto com Mark e Beau através da escrita fácil, rápida e leve de Dan. As poucas mais de noventa páginas enviadas pela editora me deixaram com gostinho de quero mais, um desejo insaciável de saber o que Mark e Beau ainda vão enfrentar até chegar nas montanhas.
"Às vezes, chorar é mais fácil quando alguém chora com você. Mas outra vezes só torna a situação ainda pior"
Por enquanto, mesmo que eu não saiba tudo sobre o livro ou a história, "A Mais Pura Verdade" merece quatro estrelas por única e exclusiva culpa da escrita deliciosa de Dan Gemeinhart.

"A Mais Pura Verdade" tem lançamento previsto para dia 23 de Março de 2015 e se eu fosse você, não deixaria esse lançamento passar em branco, comprava logo e aproveitava a escrita maravilhosa de Dan e a história incrível de Mark e seu cãozinho.

Para visitar a página do livro no site da Editora Novo Conceito e comprar seu exemplar, clique AQUI.




--------
¹ - http://www.portugues.com.br/literatura/o-haicai.html

11 de fevereiro de 2015

Parceria: Grupo Editorial Novo Conceito














Estou muito feliz e ainda sem acreditar em anunciar que meu humilde blog foi escolhido para ser parceiro da Editora Novo Conceito no ano de 2015.

Vamos conhecer um pouco mais da editora?

SELONOVO CONCEITO

A EVOLUÇÃO QUE TRANSFORMA A LEITURA.
O Grupo Editorial Novo Conceito oferece sempre os best-sellers mais aguardados e comentados do meio literário. Em anos de sucesso editorial, foram vários os autores e títulos reconhecidos na principais listas do PublishNews Veja. O selo Novo Conceito foi desenvolvido para reunir essas grandes publicações, além das novidades e lançamentos internacionais que ainda virão.

Alguns lançamentos da Editora para esse ano:


A Mais Pura Verdade - Dan Gemeinhart
NUNCA É TARDE DEMAIS PARA VIVER A MAIOR AVENTURA DA NOSSA VIDA.
Sinopse: "Em todos os sentidos que interessam, Mark é uma criança normal. Ele tem um cachorro chamado Beau e uma grande amiga, Jessie. Ele gosta de fotografar e de escrever haicais em seu caderno. Seu sonho é um dia escalar uma montanha.
Mas, em certo sentido um sentido muito importante , Mark não tem nada a ver com as outras crianças.
Mark está doente. O tipo de doença que tem a ver com hospital. Tratamento. O tipo de doença da qual algumas pessoas nunca melhoram.
Então, Mark foge. Ele sai de casa com sua máquina fotográfica, seu caderno, seu cachorro e um plano. Um plano para alcançar o topo do Monte Rainier.Nem que seja a última coisa que ele faça. 
A Mais Pura Verdade é uma história preciosa e surpreendente sobre grandes questões, pequenos momentos e uma jornada inacreditável."




Fingindo -  Cora Carmack
Sinopse: "Meu nome é Cade Winston. Aluno de mestrado em belas-artes, voluntário, abraçador de mães e seu namorado pelas próximas vinte e quatro horas. Prazer em conhecê-la.
COM SEUS CABELOS COLORIDOS, tatuagens e um namorado que combina com tudo isso, Max tem exatamente o estilo que seus pais mais desprezam... E eles nem sonham que a filha vive assim.
Ela fica em apuros quando seus pais a visitam na faculdade e exigem conhecer o futuro genro . A solução que Max encontra para não ser desmascarada é pedir para um desconhecido se passar por seu namorado.
Para Cade, a proposta veio em boa hora: é a chance que ele esperava para acabar com a sua fama de bom moço, que até hoje só serviu para atrapalhar sua vida.
Um faz de conta com data marcada para terminar... E um casal por quem a gente vai adorar torcer. Fingindo vai seduzir você."




Quando Um Homem Ama Uma Mulher - Bella Andre

Sinopse: "Os olhos de Jack estavam mais negros, até mesmo mais intensos, do que ela se lembrava conforme ele caminhava em sua direção. Ela se esforçou para suas pernas não tremerem, e para não sair correndo direto para os braços dele.
Para Mary Sullivan, reunir-se com os oito filhos, genros, noras e netos no chalé do Lago Tahoe é sempre um motivo de alegria. Cada um dos objetos que decoram a casa traz consigo um turbilhão de lembranças, todas elas guardadas com muito carinho em seu coração.
Ao acender a lareira em mais uma noite de inverno, Mary imediatamente volta aos dias do início do seu tórrido romance com Jack, vivenciando novamente o amor que mudaria a sua vida para sempre."



Boa Noite, Estranho - Jennifer Weiner

Sinopse: "Para Kate Klein, que, meio por acaso, se tornou mãe de três filhos, o subúrbio trouxe algumas surpresas desagradáveis. Seu marido, antes carinhoso e apaixonado, agora raramente está em casa. As supermães do play-ground insistem em esnobá-la. Os dias se passam entre caronas solidárias e intermináveis jogos de montar. À noite, os melhores orgasmos são do tipo faça você mesma.
Quando uma das mães do bairro é assassinada, Kate chega à conclusão de que esse mistério é uma das coisas mais interessantes que já aconteceram em Upchurch, Connecticut, nos últimos tempos. Embora o delegado tenha advertido que a investigação criminal é trabalho para profissionais, Kate se lança em uma apuração paralela dos fatos das 8h45 às11h30 às segundas, quartas e sextas, enquanto as crianças estão na creche.
À medida que Kate mergulha mais e mais fundo no passado da vítima, ela descobre os segredos e mentiras por trás das cercas brancas de Upchurch e começa a repensar as escolhas e compromissos de toda mulher moderna ao oscilar entre obrigações e independência, cidades pequenas e metrópoles, ser mãe e não ser."


10 de fevereiro de 2015

Guia de Sobrevivência do Carnaval

Este post faz parte da blogagem coletiva do Rotaroots. Um grupo de blogueiros saudosistas que resgata a velha e verdadeira paixão por manter seus diários virtuais. Faça parte do nosso grupo no Facebook e inscreva-se no Rotation.
Bom, eu não gosto de carnaval, bem que eu queria gostar de carnaval, sair por ai pulando e sambando loucamente, conhecendo novas pessoas, amores de carnaval e por ai vai, mas eu não consigo gostar de nada que se refere ao carnaval, exceto, desfiles pela televisão. Então, a uma semana do Carnaval, fiz um TOP 5 coisas para se fazer durante a folia.





1 - Assistir aquelas séries atrasadas;
Sou a rainha das séries atrasadas. Começo a ver uma, me apaixono, daí eu paro e começo outra e paro essa outra e começo aquela primeira toda de novo, então as séries não andam muito. "Pretty Little Liars" está umas três temporadas atrasadas, estou enrolando pra ver o ultimo episódio de "American Horror Story" porque não quero que acabe, "The Lying Game" então... Enfim, veja TODAS as suas séries e evite a televisão.





2 - Ir ao parque;
No carnaval, todo mundo ama viajar. O local preferido é a praia, mas a maioria pega a estrada pra algum lugar chato e cheio de gente que só vai te irritar mais do que em SP, então, os parques ficam tão vazios e lindos, sendo o melhor caminho pra quem não gosta de viajar em feriados prolongados.





3 - Jogar Video-Game;
Tem coisa melhor que jogar video-game? Já fui muito julgada por ser menina e amar jogar video game e também porque sou "velha" e video game é coisa de criança, mas quer saber? Não me importo, não tem nada melhor do que perder umas horinhas atropelando as coisas ou atirando em velhinhas.








4 - Ler, ler MUITO;
Também tenho várias leituras atrasadas, tanto em livros físicos, quanto ebook. Acho que se for contar são mais de dez livros. Não sei se vou conseguir ler todos, mas vou tentar, mesmo!





5 - Dormir;
Tem  coisa melhor do que dormir? Entrar num coma profundo durante o dia todo sem se preocupar que amanhã precisa levantar cedo? Ah... Como eu gosto de dormir!









BÔNUS: Fazer umas artes;
É, fazer umas artes mesmo! Pode ser pintar, colorir, cortar. Aprendi muita coisa nessa ultima semana e quero colocar tudo em prática, fora que estou atrasada com "Jardim Secreto" e "1 Página de Cada Vez".





Bom, essa foi a minha lista de cinco coisas simples para evitar o carnaval louco desse Brasil e você, o que faz no carnaval?


6 de fevereiro de 2015

A Seleção - Kiera Cass


Autor(a): Kiera Cass | Gênero: Ficção juvenil | Ano: 2012 | Páginas: 368 | Editora: Seguinte

A Seleção # Livro 1

Sinopse: "Para trinta e cinco garotas, a Seleção é a chance de uma vida. Num futuro em que os Estados Unidos deram lugar ao Estado Americano da China e mais recentemente a Illéa, um país jovem com uma sociedade dividida em castas, a competição que reúne moças de dezesseis e vinte anos de todas as partes para decidir quem se casará com o príncipe é a oportunidade de escapar de uma realidade imposta a elas ainda no berço. É a chance de ser alçada de um mundo de possibilidades reduzidas para um mundo de vestidos deslumbrantes e joias valiosas. De morar em um palácio, conquistar o coração do belo príncipe Maxon e um dia ser a rainha. Para America Singer, no entanto, uma artista da casta Cinco, estar entre as Selecionadas é um pesadelo. Significa deixar para trás Aspen, o rapaz que realmente ama e que está uma casta abaixo dela. Significa abandonar sua família e seu lar para entrar em uma disputa ferrenha por uma coroa que ela não quer. E viver em um palácio sob a ameaça constante de ataques rebeldes. 
Então America conhece pessoalmente o príncipe. Bondoso, educado, engraçado e muito, muito charmoso, Maxon não é nada do que se poderia esperar. Eles formam uma aliança, e, aos poucos, America começa a refletir sobre tudo o que tinha planejado para si mesma e percebe que a vida com que sempre sonhou talvez não seja nada comparada ao futuro que ela nunca tinha ousado imaginar."

Antes de resenhar esse livro, fui dar uma olhadinha nas resenhas de "A Seleção" que pipocam em MUITA quantidade por ai. Eu sei que é um livro "antigo", não é nenhum lançamento e talvez, por isso, tenha 750 resenhas no Skoob, mas parece que quase nenhuma das resenhas aborda o que eu queria abordar, ou que nenhuma das pessoas que leu o livro deu verdadeira importância para o que não é realeza ou sonho de princesa.

O mundo que Kiera nos apresenta em "A Seleção" é dividido em castas e governado por reis. existem regras taxativas como toque de recolher e que não se pode ter sexo antes do casamento. Kiera consegue criar um mundo distópico bem convincente durante toda a história, apesar dos pequenos furos aqui ou ali, que são totalmente irrelevantes.
"Aspen era um Seis. Eles trabalhavam como ajudantes e estavam apenas um degrau acima dos Sete, porque tinham uma educação melhor e aprendiam a trabalhar em ambientes fechados"
O que eu queria abordar é que, mesmo com toda a ideia sobre príncipes e princesas, realezas e afins, Kiera não nos deixa esquecer que o pais governado pelos pais de Maxon é pobre e sem futuro para muitas de suas castas que vivem a beira da miséria. A maioria das pessoas que leem se esquecem desse detalhe durante o livro e só consegue focar no conto de fadas, mas eu sempre ficava pensando nesse detalhe do livro que não deixa de ser bem realista. Enquanto alguns vivem com MUITO, tantos outros vivem com quase nada e ainda assim, conseguem existir, mesmo que a maioria finja que não. Parabéns por isso, Kiera.

Bom, existem oito castas no livro e são divididas assim:
  • Casta 1: A nobreza e o Clero.
  • Casta 2: Celebridades, modelos, atletas profissionais, políticos, atores e oficiais.
  • Casta 3: A elite, educadores, filósofos, inventores, escritores, cientistas, médicos, veterinários, dentistas, arquitetos, bibliotecários, engenheiros, psicólogos, cineastas, produtores musicais, advogados.
  • Casta 4: Fazendeiros, joalheiros, corretores de imóveis e de seguros, chefes de cozinha, mestres de obras, proprietários e donos de restaurantes, lojas e hotéis.Trabalhadores de indústrias.
  • Casta 5: Artistas, músicos, fotógrafos e dançarinos.
  • Casta 6: Secretários, serventes, governantas, costureiras, balconistas, cozinheiros, motoristas.
  • Casta 7: Jardineiros, pedreiros, lavradores, pessoas que limpam calhas e piscinas, e quase todos os trabalhadores braçais.
  • Casta 8: Pessoas com deficiência (especialmente quando desamparadas), viciados, fugitivos, sem-tetos e bastardos . 

America faz parte da casta cinco, ou seja, ela é uma musicista e cantora. Todos da sua familia são artistas ou músicos, o irmão mais velho teve a sorte de vender uma escultura a um preço bom e deixou a família, sua outra irmã se casou e está gravida, portanto, com 17 anos, America é a mais velha dos irmãos. Já Aspen, por quem America é apaixonada, pertence à casta seis.
"Com o passar dos dias, ficou óbvio que minha família sabia que alguma coisa estava errada. Deviam achar que eu estava ansiosa por causa da Seleção. Mil vezes quis chorar, mas me segurei. Arrastei-me até sexta-feira, na expectativa de que tudo voltasse ao normal depois do Jornal Oficial divulgar os nomes."
Me identifiquei com America e com suas ideias e opiniões. Ela ama Aspen e ponto final, não vai participar de seleção alguma, nem para ajudar a família e ela estava bem decidida a isso até que Aspen a convenceu do contrário. A partir daí, America começa sua aventura no palácio de Illéa enquanto participa, junto de mais 34 garotas, da seleção que irá escolher a próxima garota a se casar com o príncipe Maxon.

Confesso que estava relutante para ler "A Seleção" por achar mais do mesmo. Garota pobre, triste, coitadinha e um príncipe lindo, forte, maravilhoso que se apaixonam, se casam e felizes para sempre. Mas, "A Seleção" me pegou nas primeira páginas com a narração maravilhosa de Kiera. O inicio do livro é rápido, leve e você devora as páginas sobre America e sua família, mas acho que o livro deveria ter 100 páginas a menos. Mais ou menos lá pela página 120 o livro NÃO anda. Você lê, lê, lê e nada acontece, são só detalhes sobre vestidos, fitas, babados, drapeados e mais cores de vestidos e cabelos, comidas, jantares, dúvidas sobre o príncipe e mais nada. Kiera deveria ter cortado essa parte do livro fora que ainda assim seria um ótimo livro.

Enfim, America é uma anti-príncipe. Ela o odeia antes mesmo de conhecê-lo, mas quando o conhece, passa a achá-lo uma pessoa agradável, mas por quem ela não conseguiria ter nenhum sentimento e eles passam a ser "melhores" amigos. A partir dai a gente já entende as coisas, não é mesmo? Só que, quando tudo parece que vai muito bem, obrigada, Aspen aparece para bagunçar ainda mais o coração e a cabeça de America.
"As refeições com a família real e os momentos no Salão das Mulheres já eram constantes na minha rotina, mas os momentos entre uma atividade e outra pareciam sempre novos."
Agora, só me resta ler "A Elite" já que, obviamente, America ficou entre as seis escolhidas para ser a mais nova princesa de Illéa e ela e Maxon passaram a ter algo a mais. Afinal eu quero saber, também, se Kiera superou a descrição de detalhes sobre vestidos e babados e os deixou para atrás.

3 de fevereiro de 2015

TOP 5: Livros Para Ler Em Fevereiro


Um mais um - Jojo Moyes
Sinopse: "Há dez anos, Jess Thomas ficou grávida e largou a escola para se casar com Marty. Dois anos atrás, Marty saiu de casa e nunca mais voltou. Fazendo faxinas de manhã e trabalhando como garçonete em um pub à noite, Jess mal ganha o suficiente para sustentar a filha Tanzie e o enteado Nicky, que ela cria há oito anos. Jess está muito preocupada com o sensível Nicky, um adolescente gótico e mal-humorado que vive apanhando dos colegas. Já Tanzie, o pequeno prodígio da matemática, tem outro
problema: ela acabou de receber uma generosa bolsa de estudos em uma escola particular, mas Jess não tem condições de pagar a diferença. Sua única esperança é que a menina vença uma Olimpíada de Matemática que será disputada na Escócia. Mas como eles farão para chegar lá?
Enquanto isso, um dos clientes de faxina de Jess, o gênio da computação Ed Nicholls, decide se refugiar em sua casa de veraneio por causa de uma denúncia de práticas ilegais envolvendo sua empresa. Entre ele e Jess ocorre o que pode ser chamado de ódio à primeira vista. Mas quando Ed fica bêbado no pub em que Jess trabalha, ela faz questão de deixá-lo em
casa, em segurança. Em parte agradecido, mas principalmente para escapar da pressão dos advogados, da ex-mulher e da irmã — que insiste em que ele vá visitar o pai doente —, Ed oferece uma carona a Jess, os filhos e o enorme cão da família até a cidade onde acontecerá o torneio.
Começa então uma viagem repleta de enjoos, comida ruim e engarrafamentos. A situação perfeita para o início de uma história de amor entre uma mãe solteira falida e um geek milionário."


Quase Uma Rockstar - Matthew Quick
Sinopse: "Desde que o namorado da mãe as expulsou de casa, Amber Appleton, a mãe e o cachorro moram em um ônibus escolar. Aos dezessete anos e no segundo ano do ensino médio, Amber se autoproclama princesa da esperança e é dona de um otimismo incansável, mas quando uma tragédia faz seu mundo desabar por completo, ela não consegue mais enxergar a vida com os mesmos olhos. Será que no meio de tanta tristeza e sofrimento Amber vai recuperar a fé na vida? Com personagens cativantes e uma protagonista apaixonante, Matthew Quick constrói de forma encantadora um universo de risadas, lealdade e esperança conquistada a duras penas."






Osbert, o Vingador - Christopher William Hill
Histórias de Schwartzgarten # 1
Sinopse: "Schwartzgarten é um lugar estranho. À primeira vista, trata-se de uma cidade como outra qualquer, com casas, bancos e bibliotecas. Entretanto, por trás dessa aparência comum se esconde um passado sinistro, repleto de violência e batalhas sangrentas.
Para Osbert, que cresceu ali, a cidade não é tão esquisita assim. Ele está acostumado a passear todos os dias pelo cemitério e conhece várias histórias locais, mas nada disso parece influenciar negativamente o menino. Bem, pelo menos não até ele ser aceito no Instituto.
Considerada a melhor escola de Schwartzgarten, o Instituto é também um lugar cruel, comandado por professores sádicos, que gostam de torturar seus alunos. Caladas, as crianças aceitam as duras punições sofridas, e, com certeza, Osbert fará o mesmo... Certo?
Errado, muito errado! O menino é mais esperto do que todos imaginam e não pretende deixar os professores impunes. Pelo contrário: quer que eles paguem pela sua crueldade, da pior maneira possível. Eis que surge então Osbert, o Vingador, um justiceiro frio e determinado, disposto a destruir cada um de seus inimigos.
Nesta história de vingança e reparação, Christopher William Hill nos surpreende com um herói nada bonzinho e vilões que se transformam em vítimas. Um livro assustador e imprevisível, que certamente fisgará os leitores da primeira à última página."



Até Você Ser Minha - Samantha Hayes
Sinopse: "A assistente social Claudia Morgan-Brown está prestes a realizar o sonho de sua vida: vai dar à luz uma menininha. Apesar da ausência do marido ao longo da gravidez – James é oficial da Marinha e fica semanas e até meses longe de casa –, ela mal pode esperar para segurar seu bebê nos braços após várias tentativas e perdas.
Porém, as diversas tarefas de Claudia, além da responsabilidade de cuidar dos gêmeos Oscar e Noah, filhos do primeiro casamento de James, deixam o casal preocupado. A próxima partida de James se aproxima, e eles decidem contratar uma babá.
Zoe Harper quer muito o emprego. Com as melhores recomendações, ela conquista os gêmeos e se muda para o lar do casal. Mas Claudia logo percebe que a mulher tem outros motivos para se aproximar da família.
As suspeitas de Claudia se transformam em verdadeiro terror quando começa a ocorrer uma série de ataques brutais a mulheres grávidas na cidade. Imersos em problemas familiares, os investigadores Lorraine Fisher e Adam Scott são forçados a deixar suas questões de lado e correr contra o tempo para encontrar o assassino antes que ele cometa mais um crime.
Uma narrativa repleta de reviravoltas, Até você ser minha traz os desejos humanos mais intensos e mostra quão longe alguém pode chegar para conseguir o que quer."  


Objetos Cortantes - Gillian Flynn
Sinopse: "Uma narrativa tensa e cheia de reviravoltas. Um livro viciante, assombroso e inesquecível. Recém-saída de um hospital psiquiátrico, onde foi internada para tratar a tendência à automutilação que deixou seu corpo todo marcado, a repórter de um jornal sem prestígio em Chicago, Camille Preaker, tem um novo desafio pela frente. Frank Curry, o editor-chefe da publicação, pede que ela retorne à cidade onde nasceu para cobrir o caso de uma menina assassinada e outra misteriosamente desaparecida.
Desde que deixou a pequena Wind Gap, no Missouri, oito anos antes, Camille quase não falou com a mãe neurótica, o padrasto e a meia-irmã, praticamente uma desconhecida. Mas, sem recursos para se hospedar na cidade, é obrigada a ficar na casa da família e lidar com todas as reminiscências de seu passado. Entrevistando velhos conhecidos e recém-chegados a fim de aprofundar as investigações e elaborar sua matéria, a jornalista relembra a infância e a adolescência conturbadas e aos poucos desvenda os segredos de sua família, quase tão macabros quanto as cicatrizes sob suas roupas."


 
© LuMartinho | 2015 | Todos os Direitos Reservados | Criado por: Luciana Martinho | Tecnologia Blogger. imagem-logo