30 de julho de 2014

A Menina Que Não Sabia Ler - John Harding

Autor(a): John Harding  | Gênero: Suspense | Ano: 2010 | Páginas: 288| Editora: Leya


Sinopse: "1891. Nova Inglaterra. Em uma distante e escura mansão, onde nada é o que parece, a pequena Florence é negligenciada pelo seu tutor e tio. Guardada como um brinquedo, a menina passa seus dias perambulando pelos corredores e inventando histórias que conta a si mesma, em uma rotina tediosa e desinteressante. Até que um dia Florence encontra a biblioteca proibida da mansão. E passa a devorar os livros em segredo. Mas existem mistérios naquela casa que jamais deveriam ser revelados. Quem eram seus pais? Por que Florence sonha sempre com uma misteriosa mulher ameaçando Giles, seu irmão caçula? O que esconde a Srta. Taylor? E por que o tio a proibiu de ler? Florence precisa reunir todas as pistas possíveis e encontrar respostas que ajudem a defender seu irmão e preservar sua paixão secreta pelos livros - únicos companheiros e confidentes - antes que alguém descubra quem ousou abrir as portas do mundo literário. Ou será que tudo isso não seria somente delírios de uma jovem com muita imaginação?"

"A Menina Que Não Sabia Ler" é daqueles livros que você devora sem perceber e o termina em algumas horas. Quando percebi, já havia devorado muitas páginas e sabia que não conseguiria tirar meus olhos do livro até descobrir cada segredo daquela casa.

O título original do livro é "Florence and Giles" e confesso que a editora deveria ter mantido o título original que, durante a história, faz muito mais sentido do que o título adotado aqui no Brasil, já que a história não se mantém, somente, na menina que não sabia ler.


Florence é uma órfã de onze anos que mora numa casa que seu tio, que a proibiu de aprender a ler e a escrever, mantém para ela e para o seu meio irmão Giles, três anos mais novo que ela. Aos poucos, o livro nos apresenta o pequeno mundo quase perfeito de Florence e suas intrigantes aventuras através do mundo da leitura. A atmosfera melancólica e antiga foi o que mais me chamou atenção no livro. Gosto de histórias que se passam em outras épocas que não havia iluminação ou confortos do mundo atual e que uma pequena fagulha de imaginação servia para criar um mundo novo.

E é assim que "A Menina Que Não Sabia Ler" nos leva pelo mundo de Florence que é cheia das artimanhas para esconder suas aventuras literárias e não mede esforços para proteger seu irmãozinho, mas seu mundo quase desaba quando Giles é enviado para a escola e ela tem que ser forte para suprir a falta que ele faz. Então, Florence passa seus dias imersa nos livros tentando criar, na biblioteca e fora dela, um mundo particular. O que Florence não esperava, era a visita dos novos vizinhos que tinham um filho doente chamado Theo e que Florence o odeia assim que lê seu primeiro "poema", mas com o decorrer do livro, acabam tornando-se grandes amigos.

"Durante toda a nossa vida, Giles e eu nunca tínhamos nos separado; era como se eu tivesse ficado sem uma parte de mim. Eu compreendia suas falhas e o amava por elas."

Aos poucos, a história de "A Menina Que Não Sabia Ler" perde seu ponto principal sobre a menina que realmente não sabia ler, mas que se esforça para aprender e proteger seu irmão das maldades que sofre na escola para a qual foi mandado e se perde na narrativa de uma nova história que, para mim, parece sem pé nem cabeça e faz com que o livro maravilhoso perca bastante do que eu achava que era sua essência.

Acho que o autor poderia ter focado mais na vida de Florence e seu irmãozinho Giles durante o livro todo, na negligência que sofriam por parte do tio, o mistérios que envolvia a trágica morte de seus pais e porque a foto da mãe de Giles não tinha rosto. A inserção das Srta. Whitaker. e Srta. Taylor é totalmente dispensável para mim.

Giles precisava de uma tutora? Sim.
Eles precisavam de educação? Sim.
Srta. Whitaker. e Srta. Taylor poderiam nunca ter aparecido? Com toda a certeza.

Apesar disso, confesso que fiquei angustiada com os acontecimentos da história durante a permanêcia da Srta. Taylor em Blithe House. A sensação de que algo muito ruim aconteceria com Giles me fazia devorar as páginas atrás de uma explicação para tudo o que Florence via ou achava que via. A história da Srta. Taylor e tudo o que ela causa da Florence e Giles não tirou a magia do livro.

"Olhei pela beirada do poço. Não havia nada além da escuridão, um grande buraco que podia ir até o centro da Terra, até onde eu sabia. Meu corpo todo, o tronco, até os dedos dos pés, estava tremendo com o triunfo e também de medo."

Sim, me apeguei mais ao personagem secundário do que à própria Florence. Giles parece um daqueles garotinhos inocentes e ingênuos que precisam de proteção a toda hora, o que me lembra um personagem de um dos meus contos que é mais ou menos assim (Jojo <3) e eu sou bem apegada, por diversos motivos, apesar de ele não existir de verdade.

O autor consegue nos prender a maior parte do livro com uma história linda, com descrições quase tão perfeitas que conseguimos imaginar com detalhes cada canto da biblioteca habitada por Florence, cada esconderijo que ela consegue e, mesmo assim, o autor não nos cansa com detalhes demais.

O único ponto negativo, para mim é claro, foi o autor introduzir uma segunda história sobre a primeira e perder, completamente, o foco sobre Blithe House, seus habitantes, rotinas, Giles e Florian com seus segredos de leitura. Fora isso, o livro me deixou intrigada até a ultima letra (talvez por eu ter envolvimento pessoal com Giles), até eu saber se Florence conseguiria proteger seu pequeno irmão ingênuo ou não e o final era mais ou menos como eu imaginava, com algumas pitadas de absurdo, perguntas sem respostas e ansiedade gerada nas ultimas páginas.

"Entrei pela porta de trás quando os criados entravam pela frente. Pude ouvi-los tagarelando alegremente. Virei no corredor para a escada do fundo quando Meg e Mary surgiram no corredor abaixo. Quando viessem verificar por que não havíamos descido para tomar café, eu estaria dormindo tranquilamente em minha cama."

É uma leitura gostosa e intrigante, seria maravilhoso se o final não fosse um tanto quanto desastroso, deixando várias perguntas sem resposta pensando que o leitor não se apegaria aos detalhes.

O livro já tem continuação: "A Menina Que Não Sabia Ler Vol.02" e, aparentemente, tapa os buracos deixados pelo primeiro livro. Não vejo a hora de ler!


Por Giles 

28 de julho de 2014

Por Isso A Gente Acabou - Daniel Handler

Autor(a): Daniel Handler | Gênero: Romance | Ano: 2012 | Páginas: 368 | Editora: Seguinte (Cia. Das Letras)

Sinopse: Min Green e Ed Slaterton estudam na mesma escola e, depois de apenas algumas semanas de convívio intenso e apaixonado, acabam o namoro. Depois de sofrer muito, Min resolve, como marco da ruptura definitiva, entregar ao garoto uma caixa repleta de objetos significativos para o casal junto com uma carta falando sobre cada um desses objetos e do episódio que ele representou, sempre acrescentando, ao final, uma nova razão para o rompimento. Essa carta é o texto de Por isso a gente acabou, que é, assim, carregado de um tom informal e tragicômico - características da personagem - e traduz com um misto de simplicidade e profundidade a história de uma separação. Imerso neste universo adolescente, o leitor conhecerá a divertida personalidade de Min, uma garota apaixonada por filmes cujo sonho é ser diretora de cinema, e as idas e vindas desse romance, desde o dia em que os dois conversaram pela primeira vez até o instante em que tudo acabou.

A história gira em torno de uma carta ENORME escrita por uma garota que teve seu coração partido e nessa carta, Min Green narra os motivos pelos quais seu relacionamento com Ed Slaterton acabou e, ao mesmo tempo, nos deixa claro os motivos pelos quais esse relacionamento começou. Durante toda a carta, Min parece completamente apaixonada por Ed e mesmo descrevendo os motivos que a fazem odiar o garoto, temos a impressão de que ela ainda é apaixonada por ele.

Quando iniciei a leitura de "Por Isso A Gente Acabou", achava que Min (Minerva) era uma garota de vinte e poucos anos, com um relacionamento longo com Ed e, por isso, sua carta descrevendo o motivo da devolução de cada coisinha significativa do relacionamento deles era tão longa, mas infelizmente, Min é uma adolescente e a longa carta descreve os intensos e intermináveis 28 dias (aproximadamente) de relacionamento que ela tivera com Ed.

É impossível sentir qualquer espécie de empatia por Ed. Durante todo o livro você sabe que ele magoou demais os sentimentos de Min e, por isso, você não consegue achar que ele é alguém bom, apesar de ser um adolescente como qualquer outro, ele tem tanta culpa quando Min, que acreditou em promessas vazias e como qualquer adolescente apaixonada, deixou-se levar pelos sentimentos que mantinha por Ed e foi cegada por eles.

Em várias partes do livro, torci para que eles ficassem juntos e, até achei que ficariam juntos mesmo, mas não ficam, sabemos disso assim que lemos o título. É uma história bonita, romântica e boba como qualquer relacionamento adolescente e isso nos prende até o fim do livro e as ilustrações de Maira Kalman são uma obra a parte, fazem do livro uma aventura ainda melhor do que a escrita leve e fluida de Daniel Handler.

Num mundo cheio de romances apimentados e literaturas eróticas, "Por Isso A Gente Acabou" trás uma história gostada de ler sobre um relacionamento nos moldes normais que não tem nada para dar certo, mas foi eterno enquanto durou, mesmo que Min, que já sabia que aquele relacionamento não teria futuro e tinha consciência de cada erro que estavam cometendo, tenha ido em frente e saído ferida e enganada de tudo isso.

É uma leitura interessante, leve e divertida. É uma maneira diferente de nos contar uma história que, no fundo, todos nós já passamos, afinal, quem nunca teve um coração partido?



24 de julho de 2014

Unhas da Semana: Anita Kit USA


Atrasada como sempre, vem a unha dessa semana e é a primeira vez que uso esmaltes da marca Anita, mas não me arrependo do dinheiro que gastei. Comprei o Kit USA por R$ 11,50.
Maça do Amor é um vermelho super cremoso com ótima cobertura logo na primeira camada, com um brilho super duradouro e o melhor, tem VIT.NAIL para fortalecimento das unhas.


Já o vidrinho Hollywood tem mini glitter vermelho e glitter médio azuis e brancos.


Agora que vi essa coleção, quero muito o Kit Argentina com esse vidrinho glitter lindo chamado Tango.


18 de julho de 2014

Assisti: Transformers - Age of Extinction


Transformers - A Era da Extinção (Transformers: Age Of Extinction) 

Gênero: Ação, Ficção Científica 
Sinopse: Alguns anos após o grande confronto entre Autobots e Decepticons em Chicago, os gigantescos robôs alienígenas desapareceram. Eles são atualmente caçados pelos humanos, que não desejam passar por apuros novamente. Quando Cade (Mark Wahlberg) encontra um caminhão abandonado, ele jamais poderia imaginar que o veículo é na verdade Optimus Prime, o líder dos Autobots. Muito menos que, ao ajudar a trazê-lo de volta à vida, Cade e sua filha Tessa (Nicola Peltz) entrariam na mira das autoridades americanas.

Adoro Transformes e mesmo que o último filme não tenha sido lá aquelas coisas, esperava muito desse novo filme e, mais uma vez, me decepcionei.

O filme tem um começo lento e nos apresenta os personagens e locais por mais de trinta minutos. Ok, toda história precisa de uma introdução e, lá no fundo, eu esperava que após esse tempo, a história começaria a ficar interessante, mas isso não acontece e o filme se resume em explosões, fugas mirabolantes em corridas de carros surreais e Transformers andando por cima de prédios como se fosse um acontecimento comum, sem que as pessoas percebessem. "Transformers? Onde? Cadê?"

Segundo minha mãe, "O Optimus Prime é o Neymar dos Autoboots". Os Transformes não fazem nada sem que o Optimus apareça e diga o que tem que ser feito. Ok, Optimus é o líder dos Autoboots e eles estavam escondidos e em fuga, pois agora, são caçados pelos humanos, então esse fato é altamente relevante para mim.

O que mais gosto em filmes de ação são as explosões e destruições e, claro,nesse quesito, Transformers - A Era da Extinção não deixa nada a desejar, pelo contrário, são lindas explosões e muita destruição empolgante.

Para mim, Transformers - A Era da Extinção é um filme razoável e se você conseguir ignorar o enredo fraco com idéias até que boas, mas que se perdem no decorrer do filme e focar nos Transformers e nas explosões, você vai adorar o filme.

Espero, mesmo, que Transformers 5 consiga trazer de volta para os fãs o que o primeiro filme nos trouxe.

14 de julho de 2014

Unhas da Semana: Frio na Barriga - Gio Antonelli


Voltando com as unhas da semana tem aquele azul sensação do momento, o "Frio na Barriga" da coleção "Sensações" da Gio Antonelli.


Demorei duas semanas para encontrar esse esmalte por ai e tenho a impressão que só achei porque ele não é mais TÃO sensação assim.

Azul cremoso que cobre logo na primeira camada e dura bastante. Lavei louça, cabelo e terminei de montar o guarda roupas com ele e nada de descascar. Estou apaixonada.



12 de julho de 2014

O Lado Mais Sombrio - A. G. Howard

Autor(a): A.G. Howard | Gênero: Ficção/Fantasia | Ano: 2014 | Páginas: 368 | Editora: Novo Conceito

Demorei muito mais do que previa para terminar de ler esse livro. Não gosto de adaptações de histórias antigas, já que as que eu li de Branca de Neve não eram muito boas e, pra ser sincera, não gosto de Alice no País das Maravilhas. Nunca gostei, não tenho um motivo especial, mas não é uma história que me envolva ou que eu veja algo de Maravilhoso nela ou, talvez, só porque todo mundo venera e acha fantástica.

Resolvi ler "O Lado Mais Sombrio" só porque a capa é linda e me chamou muita atenção. Não gosto muito de histórias fantásticas e "Alice no País das Maravilhas" é o que menos gosto dos clássicos da literatura.

O livro conta a história de Alyssa, tataraneta de Alice Lidell (sim, a Alice original) e esse fato a faz sofrer uma espécie de bulliyng na escola. Além disso, Alyssa ouve insetos e plantas, eles falam com ela mesmo que ela não queira e, para calá-los, Alice os captura e faz quadros e maquetes com eles. Alyssa é apaixonada por Jeb, seu melhor amigo desde sempre, que parece vê-la apenas como uma irmã e, como se tudo isso não bastasse, sua mãe, Alison, está internada em um sanatório, completamente louca e ela tem que conviver com essa maldição que assola todas as descendentes de Alice.

"As tranças platinadas de Alison pendem sobre o encosto da cadeira, quase tocando o chão. A franja está enfiada em uma faixa preta na cabeça. Vestida com uma espécie de camisola azul e coberta pelo peitilho longo de um avental para manter suas roupas limpas, ela se parece mais com a Alice no chá do Chapeleiro Maluco do que qualquer ilustração que eu já vi."

De alguma forma, Alyssa acredita que as coisas que a mãe e os insetos dizem a ela tem alguma ligação com aquela loucura toda que assombra a linhagem Liddell e esse lado sombrio e cheio de segredos vai levá-la ao Pais das Maravilhas para tentar consertar os erros cometidos por Alice e, assim, quebrar a maldição que as leva a uma vida de loucura, salvando a si mesma e a própria mãe.

Não quero contar muito sobre o livro, porque ele é feito de pequenos segredos sobre a família Liddell, Alice e sua linhagem, mas quando Alyssa descobre que o Pais das Maravilhas não está tão longe quanto ela imaginava, mas sim há poucos centímetros de si, a história muda completamente e somos levados até o reino mágico do Pais das Maravilhas com todos os seus personagens caricatos que são apresentados de uma maneira completamente diferente do que estamos acostumados a ver ou ler, tanto física como psicologicamente.

Imersa no País das Maravilhas, além das missões impossíveis que lhe são designadas, Alyssa conhece o sedutor Morfeu, que a deixa dividida entre o amor que sente por Jeb e a sedução que Morfeu exerce sobre ela.

"Ele puxa o meu punho, levantando-me até eu ficar na ponta dos pés e meu nariz tocar a borda inferior de sua máscara. Ele está tão próximo que quase consigo sentir seus lábios com sabor de alcaçuz."

É um livro sobre lealdade, família, amizade e, acima de tudo, amor. A autora tem uma boa narrativa com muitos detalhes, mas quando Alyssa entra no Pais das Maravilhas, a narrativa parece mudar e o livro fica um pouco mais lento e muito mais cheio de detalhes do que eu gosto. Mesmo assim, a autora narra o País das Maravilhas de um jeito sombrio e muito instigante.

"Estou em um jardim coberto, escuro e bolorento. À minha esquerda, vislumbro um punhado de itens brilhantes — de braceletes e colares a joias desmembradas — e uma pilha de ossos junto a vários rolos do tamanho de pneus de bicicleta cheios de fios dourados e tremeluzentes."

"O Lado Mais Sombrio" é um bom livro sobre o Pais das Maravilhas e, ao mesmo tempo, me decepcionou em algumas partes, talvez por eu não gostar desse tipo de história e por ter detalhes desnecessários sobre roupas, mas o final era tudo aquilo que eu esperava. Vou esperar pelo próximo livro (Sim, é uma série) e ver do que A. G. Howard ainda é capaz.

Clique AQUI para baixar um trecho do livro disponibilizado pela Editora Novo Conceito.



3 de julho de 2014

Filmes Para Ver Em Julho


O Blog ficou bem paradinho no ultimo mês. Fiquei bem ocupada com a mudança (yeah), mas agora as coisas estão começando a ficar em seus lugares e nada melhor do que voltar para o blog falando dos lançamentos de Julho para o cinema!

Chef  - (1h55min)
Estréia: 31de julho de 2014
Gênero: Comédia
Sinopse: Após perder o seu emprego como chef de um restaurante, Carl (Jon Favreau) decide abrir um trailer de comida para recuperar seu instinto criativo, ao mesmo tempo em que busca se aproximar da sua família.

É Robert Downey Jr. e eu assisto tudo dele *---*

Transformers - A Era da Extinção (Transformers: Age Of Extinction) - (2h45min)  
Estréia: 17 de julho de 2014 
Gênero: Ação, Ficção Científica 
Sinopse: Alguns anos após o grande confronto entre Autobots e Decepticons em Chicago, os gigantescos robôs alienígenas desapareceram. Eles são atualmente caçados pelos humanos, que não desejam passar por apuros novamente. Quando Cade (Mark Wahlberg) encontra um caminhão abandonado, ele jamais poderia imaginar que o veículo é na verdade Optimus Prime, o líder dos Autobots. Muito menos que, ao ajudar a trazê-lo de volta à vida, Cade e sua filha Tessa (Nicola Peltz) entrariam na mira das autoridades americanas.
Vamos ver se está melhor que os dois últimos!
Guardiões da Galáxia - (Guardians Of The Galaxy) - (2h2min) 
Estréia: 31 de julho de 2014 
Gênero: Ação, Ficção Científica
Sinopse: Em uma Terra alternativa do século XXXI, o aventureiro Peter Quill (Chris Pratt) rouba uma esfera pertencente ao poderoso vilão Ronan, e passa a ser procurado por vários caçadores de recompensas. Para escapar ao perigo, ele une forças com quatro personagens fora do sistema: Groot, uma árvore humanóide (Vin Diesel), a sombria e perigosa Gamora (Zoe Saldana), o texugo rápido no gatilho Rocket Racoon (Bradley Cooper) e o vingativo Drax, o Destruidor (Dave Bautista). Mas Quill descobre que a esfera roubada possui um poder capaz de mudar os rumos do universo, e logo o grupo deverá proteger o objeto para salvar o futuro da galáxia.
O grande Hotel Budapeste - (The Grand Budapest Hotel) - (1h40min)  Estréia: 03 de julho de 2014 
Gênero: Comédia , Drama
Sinopse: No período entre as duas guerras mundiais, o famoso gerente de um hotel europeu conhece um jovem empregado e os dois tornam-se melhores amigos. Entre as aventuras vividas pelos dois, constam o roubo de um famoso quadro do Renascimento, a batalha pela grande fortuna de uma família e as transformações históricas durante a primeira metade do século XX
Juntos e Misturados - (Blended) - (1h57min) 
Estréia: 17 de julho de 2014 
Gênero: Comédia 
Sinopse: Após um primeiro encontro desastroso, Jim (Adam Sandler) e Lauren (Drew Barrymore) viajam, por coincidência, para o mesmo resort familiar durante as férias, junto com seus filhos de casamentos anteriores. Sendo obrigados a conviver, uma atração começa a surgir entre os dois. 
É mais uma comédia romântica igual a TODAS as outras, mas quem não gosta de Adam Sandlers e Drew Barrymore juntos, quem?
 
© LuMartinho | 2015 | Todos os Direitos Reservados | Criado por: Luciana Martinho | Tecnologia Blogger. imagem-logo